Recordações de um bolo de cenoura sem ovos

Alguns tipos de pessoas simplesmente não consigo entender. Inclua aí preconceituosos, pessoas hostis ao alho, defensores da carne de soja e do leitinho de vaca, eleitores de Trump, baladeiros noturnos compulsivos, agressores de animais, pessoas (com acesso à comida) que não dão a mínima para o que comem.

Óbvio, o tamanho do meu hã? Como assim? é proporcional ao absurdo – ser defensor da carne de soja não é tão grave quanto apoiar supostos políticos –, mas pessoas que não se importam com o que têm no prato realmente me impressionam.

Comida faz parte da nossa história, como humanidade e como indivíduos. No meu caso, mais do que uma história, eu e a comida temos um relacionamento cheio de altos e baixos.

Teve a época da infância, em que o lance era focar no açúcar. Doce era igual a glória. Daí veio a desgraça da adolescência e a mania de me ver como uma baleia desengonçada, mas, ao mesmo tempo, amar tudo aquilo que engorda. Continuo adolescente nesse sentido, mas amadureci e estou selecionando melhor as fontes da minha gordice aguda.

Depois disso, conheci o mundo peso pesado da culinária neo-zeolandesa, durante o ano de intercâmbio, e rompi com minha ex-bunda chamada Bela Firme. E, finalmente, veio a descoberta da alimentação vegetariana, que não trouxe minha bunda Bela Firme de volta, mas deu uma acalmada nos meus instintos glutões.

Mesmo com o tempo, passado mais rápido do que às vezes a gente gostaria, aqueles sabores e aromas da infância e da adolescência nunca foram esquecidos.

Apesar de estarem guardados comigo, tem dias que aquelas sensações me fazem falta. O sabor do feijão da mamãe, o cheiro da casa do vovô, as desastrosas experimentações culinárias com a irmã, o fast food com a titia, a pamonha na estrada do interior, a expectativa infantil com o bolo no forno, a suculenta fruta nordestina saboreada na varanda do apartamento…

Com saudade de tudo e de todos, hoje fiz bolo de cenoura, com farinha de trigo e açúcar (demerara, porque o branco não entra mais aqui em casa), pra não esquecer da minha infância e de quem eu sou.

Ingredientes da massa

3 cenouras (150 g) cortadas em rodelas

1/4 xícara de óleo vegetal

2/3 xícara (150 ml ) de água

1 xícara de açúcar

1 e 1/2 xícara de  farinha de trigo

1 colher (sobremesa) de fermento químico em pó

Ingredientes para a calda de chocolate

1/3 xícara de açúcar

2 colher (sopa) de cacau em pó

1 colher (chá) de óleo de coco

1/2 xícara de água

Preparo

Preaqueça o forno em 180ºC e unte com óleo e farinha uma forma redonda de 18 cm de diâmetro ou forminhas redondas individuais.

Bata no liquidificador a cenoura, o óleo, a água e o açúcar até ficar homogênio.
Bata no liquidificador a cenoura, a água, o óleo e o açúcar até ficar homogêneo.
Com um fouet, misture a farinha com a cenoura batida, mexendo bem para não ficar nenhum grumo. Por último, adicione o fermento e mexa até incorporar. Leve ao forno por 40 minutos ou até espetar um palito e sair limpo. Deixe esfriar e desenforme.
Para fazer a calda: misture todos os ingredientes e leve ao fogo até engrossar um pouco. Espalhe-a ainda quente sobre o bolo já assado.
Para fazer a calda. Em uma panelinha, aqueça em fogo baixo o açúcar, o cacau em pó, o óleo de coco e a água. Mexa sempre até engrossar levemente.
Espalhe a calda ainda quente sobre o bolo.
Espalhe a calda ainda quente sobre o bolo. Para que a calda penetrasse bem no interior do bolo, decidi cortar fora a parte de cima dele.

 

Anúncios

3 comentários sobre “Recordações de um bolo de cenoura sem ovos

  1. Olá, Obrigada pela receita. Tenho ainda muita dificuldade com bolo e massa de quiche ( empadinha sendo mais especifica ) sem ovos que tenham bom resultado. E suas dicas ajudam muito. Poderia especificar quantos gramas seria tanto na Xícara de farinha quanto na de açúcar? Quero repetir a receita no entando sempre fico na dúvida devido as variações de xícara que se encontra hoje em dia. Sem falar nas canecas rs. Super grata!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s