Meus 7 restaurantes preferidos em Milão

Vira e mexe alguém me pede sugestão de onde comer vegano em Milão. Pra esses, indico aqui os meus 7 restaurantes preferidos.

Pizza com molho de tomate, cebola roxa e patê de azeitona
Pizza Ok em versão vegana: molho de tomate, cebola roxa e patê de azeitona

Pizza Ok
Quando a pizza é boa em Milão, não tem dieta que me segure. Uma das pizzarias que mais gosto é a Pizza Ok, que tem mais de 90 sabores diferentes no cardápio – todas de massa finíssima e enormes 40 cm de diâmetro.

Dica: Mesmo com tantas opções de sabores, nenhuma pizza é vegana. Mas dá pra se virar numa boa. É só pedir para tirar o queijo de alguns dos sabores preparados com vegetais, como a ortolana (espinafre, abobrinha, berinjela, pimentão, rúcula e molho de tomate). As pizzas custam em média 7 Euros.
Endereço: Via Lambro, 15.

 

Entrada do Veccia Latteria que oferece refeições vegetarianas desde 1950
Entrada do Veccia Latteria que oferece refeições vegetarianas desde 1950

Vecchia Latteria
Inaugurado nos anos de 1950, o pequeno estabelecimento vegetariano oferece opções veganas e receitas tradicionais italianas como massas, risotos e berinjela à parmegiana.

Dica: Como o restaurante é minúsculo, chegue cedo para conseguir lugar durante o almoço. Em média, duas pessoas gastam 35 Euros.
Endereço: Via dell´Unione, 6 – pertinho do Duomo, no centro.

 

Junk food vegana e árabe, no Nun, porque às vezes é gostoso
Junk food vegana e árabe, no Nun, porque às vezes é gostoso

Nun
Em Milão vale a pena sair do básico macarrão e pizza e experimentar outras propostas. Como os sanduíches da Nun, que revistou a culinária árabe e virou point de muita gente descolada que frequenta o bairro de Porta Venezia, onde fica a lanchonete.

Dica: Peça pelo sanduíche vegano (5,40 Euros), feito com falafel, patê de berinjela, alface e alcaparra. Bebida e ingredientes extras são cobrados à parte.
Endereço: Via Lazzaro Spallanzani, 36.

 

A comida no Wang Jiao não é veg, mas as opções veganas, como verdura sem coração, são divinas
A comida no Wang Jiao não é veg, mas as opções veganas, como verdura sem coração, são divinas

Wang Jiao
A moda em Milão são os restaurantes asiáticos. O meu preferido é o Wang Jiao, frequentado por moderninhos, jornalistas e modelos. Cervejas chinesas e pratos bem temperados de nome inusitado, como verduras sem coração, são servidos a preço razoável, em média 15 Euros por pessoa. Recomenda-se reserva.

Dica: O restaurante serve carnes e peixes, mas pratos como berinjela apimentada, ravióli de verdura cozido no vapor e tofu com molho de soja e castanha-de-caju são excelentes.
Endereço: Via Felice Casati, 7. Tel: 02 8728 0596.

 

A melhor sorveteria de Milão é sem dúvida a Gelato Giusto, que não usa corantes, aromas artificiais nem gordura hidrogenada nos sorvetes (muitos deles veganos)
A melhor sorveteria de Milão é sem dúvida a Gelato Giusto, que não usa corantes, aromas artificiais nem gordura hidrogenada nos sorvetes (muitos deles veganos)

Gelato Giusto
Gelato italiano é irresistível até no inverno, principalmente os sorvetes artesanais da Gelato Giusto. Sabores como limão com tomilho, flor de manjericão e laranja, aparecem só em algumas estações do ano, mas clássicos como sorbet de chocolate (vegano) nunca faltam.

Dica: Pergunte pelos sabores que não levam leite. Duas bolas saem por 2,50 Euros.
Endereço: Via San Gregorio, 17

 

O Alhambra é comandado por um simpático casal africano, Salvatore e Elena
Alhambra é comandado por um simpático casal africano, Salvatore e Elena

Alhambra
Exatamente ao lado do Gelato Giusto fica este restaurante vegano que todo mundo deveria conhecer. Além do atendimento simpático e do preço baixo, a comida de inspiração africana é deliciosa. Perto dali, virando a esquina, fica o Alhambra Café, onde você pode tomar um chá e comer bolos e tortas veganos bem bons.

Dica: Tanto o bar quanto o restaurante funcionam para almoço e jantar. Se o espaço do restaurante estiver lotado, vá para o bar porque eles levam o seu prato até lá.
Endereço: (do restaurante) Via San Gregorio, 17 (sim, é o mesmo número cívico do Gelato Giusto). Já o endereço do bar é Via Alessandro Tadino 17

 

O prato vegano do árabe Mido é bem farto
O prato vegano do árabe Mido é bem farto

Mido
Comida árabe em versão vegana ou sem glúten por cerca 20 Euros. No salão fica o egípcio Raafat e, na cozinha, sua esposa Maha, que prepara o melhor homus de todos.

Dica: Vá com fome porque as porções são generosas.
Endereço: Via Pietro Custodi, 4

Em junho, Rio de Janeiro ganhará sofisticado restaurante de vegetais

Chef Daniel Biron

Cariocas e turistas da Cidade Maravilhosa se preparem. No início de junho, o restaurante Teva abrirá suas portas em Ipanema. Comandado pelo chef Daniel Biron, o local promete revolucionar o conceito de restaurante vegano. “Nosso posicionamento é muito diferente dos restaurantes veganos e vegetarianos do Rio e do Brasil”, garante o chef carioca, que se formou pela Natural Gourmet Institute, em Nova York, e já passou pela cozinha de restaurantes badalados, como o Candle Cafe, o Candle 79 e o Rouge Tomate, em Nova York, o bistrô vegano Gentle Gourmet Café, em Paris, e o Noma, em Copenhagen.

Além do horário de funcionamento, que será principalmente noturno, o Teva virá com um cardápio inovador. “A comida fugirá das feijoadas vegetarianas com arroz integral e dos bobós de shiitake. O restaurante será vegano sim, mas sem o estereótipo de comida natureba e sem militância pela causa animal. Seremos um restaurante de vegetais, não um restaurante vegetariano.

Casa Vegana: E qual será o prato mais cobiçado?

Daniel Biron: Estou trabalhando para que os pratos atendam a um público exigente e variado, por isso espero que todos fiquem gostosos e sejam valorizados. Não tem um prato especificamente melhor do que os outros. Todos serão preparados com alimentos frescos, orgânicos, sazonais, não industrializados e produzidos localmente, porque o que adoro é fazer com que as pessoas se surpreendam e digam que não sabiam que legumes e verduras podiam ser tão saborosos ou que sobremesas veganas podiam ir além de tortinha de banana integral e serem deliciosas sem leite, manteiga e ovos.

Toast com pesto e ricota vegana que será servido no Teva

CS: Você já definiu alguns pratos que entrarão no cardápio?

DB: Sim. Por exemplo, funghi e cogumelos cardoncello grelhados ao molho demi-glace, creme de cogumelos porcini com azeite trufado, cogumelos hiratake grelhados e palha de alho poró. E também toast de pão sourdough com tomates cereja, micro rúcula, pesto de manjericão e ricota de tofu; entre outros.

CS: Interessante! E qual será a faixa de preço de uma refeição?

DB: Ainda não está definida, mas a ideia é sempre entregar porções justas em relação aos preços no cardápio. E que as pessoas percebam o valor dos detalhes e dos ingredientes de primeira qualidade. O conceito não é ser um restaurante de comida popular, mas tampouco temos a intenção de elitizar e ser comida para poucos. Os preços de restaurantes estão cada vez mais altos no Rio e em São Paulo, e as porções em geral tem diminuído. Queremos trabalhar com consciência e equilíbrio, mas com foco total na satisfação e ótima experiência para os clientes.

CS: Em qual esquema os pratos serão servidos?

Os pratos serão servidos à la carte, como o mix de cogumelos orgânicos

DB: Nossa cozinha será internacional e contemporânea, sempre à la carte, servida em porções estilo tapas, para compartilhar, 100% vegetal e orgânica com muitas opções sem glúten e algumas crudívoras também.

CS: Você já cozinhou nos Estados Unidos, na França e na Dinamarca. O que você vai trazer dessas experiências para o Teva?

DB: Trarei referências e vivências gastronômicas dessas cidades maravilhosas que vivi para criar uma experiência prazerosa para todos, clientes e colaboradores, com comida vegetal bonita, saborosa e bem apresentada, sem os rótulos que perseguem esse segmento. Além disso, queremos ser profissionais e trazer essa visão de negócios com eficiência na cozinha e no atendimento, algo mais comum em cidades como Nova York e Paris, mas que infelizmente ainda somos muito carentes.

CS: Pra terminar. O que significa a palavra “teva”?

DB: Significa “natureza”, em hebraico, mas também significa deixar um legado, uma marca positiva, o que expressa nossa missão.

 

Endereço: Avenida Henrique Dumont, 110B – Ipanema – Rio de Janeiro
Inauguração: início de junho de 2016.
O horário exato ainda deverá ser definido, mas, segundo Daniel, já está pré-definido que o Teva abrirá somente para o jantar durante a semana. Aos sábados, abrirá tanto para o almoço quanto para o jantar. E, aos domingos, para brunch e jantar.
Clique aqui para falar com o chef Daniel Biron.